Juiz vê ataque à democracia e manda Faceboock tirar material ofensivo à candidatura de Amazonino

O juiz coordenador da Propaganda Eleitoral, Alexandre Henrique Novaes de Araújo, determinou ao Facebook a exclusão de imagem usada pelos adversários para denegrir o candidato a prefeito de Manaus pela Coligação Juntos Podemos Mais, Amazonino Mendes (Podemos). A pena para o descumprimento da medida é de multa diária de R$ 10 mil.

A decisão foi tomada com base em representação dos advogados da coligação contra postagem com teor ofensivo e difamatório a Amazonino, usando imagem extraída de matéria jornalística sem contexto, em que o candidato segura a mão de uma pessoa ao sair de um carro, veiculada com montagem e com palavras de baixo calão.

Na decisão, o juiz diz que a publicação “ultrapassa, em muito, o debate democrático, aliás, com este nada se referindo”. E que é possível extrair que o conteúdo publicado, ao veicular montagem com a foto do candidato, “expressa conteúdo chulo, que merece reprimenda imediata, por utilizar-se de forma nítida de expressão de baixo calão, com o claro intuito de atingir o candidato a cargo majoritário”.

“Tal conduta é incompatível com o regular exercício do direito constitucional da liberdade de expressão e sua prática requesta reprimenda pelo poder de polícia conferido a este Juízo Coordenador da Fiscalização da Propaganda Eleitoral, razão por que tenho por bem determinar a remoção imediata do conteúdo ofensivo publicado”, reforça o juiz, ao fazer cessar a publicação tida por ilícita, que denigre e ofende a imagem do candidato.