Angelus Figueira sobe o tom em defesa dos recursos hídricos do Amazonas

O deputado Angelus Figueira (DC) subiu o tom na manhã desta terça-feira (31), no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), sobre a importância de cuidar do maior patrimônio do Amazonas: sua água. “Nós não recebemos nossos rios poluídos como estão e não podemos deixar dessa forma para as futuras gerações”, disse o deputado, que tem 71 anos. Na ocasião, agradeceu aos demais parlamentares  a aprovação por unanimidade do encaminhamento de sua autoria ao governo do Estado, que visa criar o Instituto de Gestão de Recursos Hídricos do Amazonas.

“Mais de 40% da população mundial vive com dificuldade de acesso a água potável e precisamos ter uma noção sobre isso. Dificilmente vamos encontrar uma pessoa que tenha morrido de sede, mas encontraremos pessoas que morreram com problemas graves por conta da poluição dessa água”, disse o deputado.

“Nós precisamos neste Estado do Instituto de Governança dos Recursos Hídricos. Quando um deputado alerta sobre a poluição por meio de garimpos, essa Casa precisa, de fato, discutir dessas lições. Países enfrentam imigração, retenção de recursos hídricos, centenas de conflitos, riscos de guerra, e nós, com tanta abundância, assistimos a que acontece no Rio Madeira, Rio Negro, em Manaus. No Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) tem apenas dois agentes”, completou Figueira.

Gravidade

Durante o discurso de Figueira, o deputado ainda foi parabenizado por outros parlamentares como o deputado Fausto Júnior (PRTB), João Luiz (Reproblicanos) e Belarmino Lins (PP), que comentaram sobre a importância do instituto para cuidar e ajudar na preservação da água do planeta e do Estado do Amazonas, que está situado na maior bacia hidrográfica do mundo, a bacia Amazônica e da importância de mais agentes no Ipaam para que o Estado avance e proteja a floresta de forma exemplar.

“Esse é um tema de uma gravidade ampla. As mazelas são tantas para os que moram abaixo das grandes cidades. Isso precisa ser abordado e aqui, um deputado que não está preocupado com eleição no ano que vem, mas quero deixar um grito forte por ter aprovado por unanimidade o Instituto de Gestão Recursos Hídricos do Amazonas. Tenho certeza que este é o caminho. É a população do Amazonas que precisa de um instituto forte para cuidar estrategicamente do seu patrimônio maior. Se faltar água, teremos menor produção e aqui temos em abundância. Precisamos cuidar. Não podemos esconder debaixo do tapete esta tão relevante questão. Quero agradecer ao presidente da Casa por ter aprovado este instituto. As gerações futuras não merecem. Não podemos permitir que isso continue. Precisamos mudar essa realidade”, finalizou o deputado.