Prefeitura recuperou mais de seis quilômetros de drenagem profunda em 180 dias de administração

No primeiro semestre de trabalho, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), executou mais de 450 frentes de obras de drenagem profunda nos bairros da capital, totalizando quase 6 quilômetros de extensão de redes recuperadas, visando resolver os incidentes causados pelos rompimentos de tubulações antigas, devido ao grande número de construções irregulares e ligações clandestinas.

De acordo com o vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura, Marcos Rotta, com as intensas chuvas dos últimos meses e a falta de manutenção nas redes de drenagem na cidade em vários pontos da capital, as estruturas não suportaram a pressão.

“Para solucionar definitivamente esse problema, a gestão David Almeida vem investindo no uso de novas tecnologias e materiais mais adequados, como nas peças em concreto armado, mais resistentes a grandes volumes de águas, evitando, assim, as alagações com serviços de qualidade”, explicou.

Nesses 180 dias de administração, a Seminf também intensificou a implantação e a restauração de quase 15 quilômetros de drenagem superficial, que engloba meio-fio e sarjeta, além de 10,5 quilômetros de calçadas. Entre os locais que receberam melhorias, estão a rua João Valério, no conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, que concentra intenso fluxo comercial, e a avenida Torquato Tapajós, duas das vias mais movimentadas da cidade.

Na Torquato Tapajós, a obra foi feita de forma emergencial, no sentido Centro-bairro, após o rompimento de uma antiga rede de tubulação, que causou afundamento da pista e, preventivamente, no sentido bairro-Centro, com conclusão em menos de 72 horas. A intervenção implementou uma nova rede com 20 metros de extensão, toda em aduelas de concreto, formando uma galeria moderna, para dar a vazão correta às águas pluviais. A pista recebeu a aplicação de 30 toneladas de asfalto e foi liberada para o tráfego. O canteiro central também foi recomposto.

A avenida João Valério, no trecho entre as avenidas Djalma Batista e Constantino Nery, na zona Centro-Sul, também passou por obra emergencial de substituição de 30 metros de drenagem profunda. Mais de 210 servidores da Seminf trabalharam, ininterruptamente, em três turnos, nos 17 dias da obra de substituição da antiga rede de drenagem profunda, que devido às fortes chuvas causaram um afundamento na pista, além do rompimento da antiga rede de águas pluviais, com aproximadamente 40 anos.